APOIO AOS UTILIZADORES DE SERVIÇOS DE PSICOLOGIA

A área de Apoio aos Utilizadores de Serviços de Psicologia, da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP), é um espaço de informação online, especialmente desenvolvido para dar resposta às necessidades de quem procura e usufrui do serviço de Psicólogos e Psicólogas.

Aqui pode encontrar respostas simples e objectivas a perguntas frequentemente colocadas sobre os serviços prestados por Psicólogos e Psicólogas em diferentes áreas.

Queremos manter os conteúdos úteis e actualizados, pelo que agradecemos o seu contributo e sugestões para o endereço electrónico info@ordemdospsicologos.pt. Agradecemos a sua colaboração.

P & R SOBRE OS PSICÓLOGOS E PSICÓLOGAS

1. O que é um Psicólogo/a?

Um Psicólogo/a é um profissional com formação e experiência profissional em Psicologia. Com os seus conhecimentos sobre ciência psicológica, os Psicólogos procuram compreender e melhorar o funcionamento e o bem-estar da sociedade e das pessoas – os seus pensamentos, sentimentos e comportamentos.

Em Portugal, a Psicologia é uma profissão regulada. Isto significa que as pessoas que se intitulam Psicólogos/as e praticam Psicologia têm de, segundo a Lei, estar registadas na Ordem dos Psicólogos Portugueses como Membros Efectivos.

Os Membros Efectivos da Ordem dos Psicólogos precisam de ter um mínimo de 5 anos de formação universitária e 1 ano de experiência profissional supervisionada, além de se comprometerem com a realização de formação contínua, no sentido de manter os seus conhecimentos e competências actualizados.

Os Psicólogos/as são ainda obrigados a cumprir um Código Deontológico que promove um conjunto de princípios éticos fundamentais para qualquer forma de intervenção psicológica, assegurando a prestação de serviços de qualidade. Estão sujeitos à acção do Conselho Jurisdicional da Ordem dos Psicólogos, que zela pela protecção dos clientes combatendo as más práticas em Psicologia.

2. Como posso ter a certeza de que um profissional é Psicólogo ou Psicóloga?

Para o exercício da psicologia, em Portugal, é obrigatório o Psicólogo ou Psicóloga estar inscrita na Ordem dos Psicólogos Portugueses e possuir Cédula Profissional. A cédula é um documento com elementos únicos e intransmissíveis, que identificam o/a profissional, nomeadamente: número de cédula, nome completo e nome profissional.

A OPP disponibiliza o menu Directório, através do qual se pode confirmar a inscrição de Psicólogo ou Psicóloga na Ordem.

3. O que faz um Psicólogo ou Psicóloga e para que serve?

Os Psicólogos e Psicólogas fazem um trabalho muito diversificado. Como o seu âmbito de actuação é muito alargado, estendendo-se a todos os contextos e comportamentos humanos, a sua lista de actividades é interminável. Onde haja pessoas, os Psicólogos e Psicólogas podem contribuir com conhecimento especializado.

Os Psicólogos/as usam estratégias baseadas na evidência psicológica disponível personalizando-as para responder a cada pessoa, contexto, questão ou desafio. Aplicam as suas competências e experiência num amplo conjunto de áreas, como a saúde e o bem-estar, a educação e a formação, o trabalho e os assuntos sociais, a justiça e o ambiente, as políticas públicas e as tecnologias emergentes.

Podem encontrar-se Psicólogos e Psicólogas nos mais distintos contextos, tais como clínicas e hospitais, escolas e universidades, lares e centros de reabilitação, empresas e instituições sociais, prisões ou organismos governamentais.

A título de exemplo, os Psicólogos e Psicólogas podem:

• Realizar avaliações psicológicas (testes psicológicos) e intervenções psicológicas, ajudando as pessoas a aprender a lidar de forma mais eficaz com as dificuldades das suas vidas (por exemplo, stresse no trabalho ou a morte de um familiar) ou os problemas de Saúde Mental e Psicológica (por exemplo, Ansiedade e Depressão).

• Promover acções de prevenção (por exemplo, do bullying na escola ou dos riscos psicossociais no trabalho) e de promoção da saúde e do bem-estar (por exemplo, facilitar a adopção de estilos de vida saudáveis).

• Formular estratégias de detecção precoce dos problemas de Saúde Mental e Psicológica.

• Desenvolver apps que ajudem as pessoas a combater a ansiedade.

Apoiar vítimas de violência, assédio ou outros crimes.

• Promover a aprendizagem e o sucesso académico.

• Melhorar a produtividade e a satisfação laborais, assim como o funcionamento das empresas.

• Ajudar a desenhar campanhas antitabágicas para a sensibilização do público para os malefícios do consumo de tabaco.

• Desenvolver a concentração e melhorar o desempenho de atletas, artistas ou executivos.

• Prestar consultadoria aos tribunais e fornecer testemunho de especialista em processos judiciais.

• Ajudar a facilitar a mudança organizacional ou social.

• Realizar investigação para aumentar o conhecimento da ciência psicológica.

4. Os Psicólogos e Psicólogas têm Especialidades?

Sim. A Psicologia é um campo do conhecimento muito diversificado, com uma enorme variedade de áreas e âmbitos de especialização. Por isso, os Psicólogos/as escolhem, frequentemente, especializar-se num subcampo e focar-se num assunto particular dentro da Ciência Psicológica.

Um Psicólogo ou Psicóloga Especialista, para além da formação geral em ciência Psicológica, é um profissional com formação e experiência, especializadas, em determinada área da Psicologia. Para além do mínimo de 5 anos de formação académica e de 1 ano de experiência profissional, tem também, pelo menos mais 4 anos de prática profissional numa área específica da Psicologia, acompanhados de formação específica, supervisão e outras actividades relevantes (tais como comunicações em eventos científicos, publicações em revistas científicas e orientações de estágios). Na verdade, em média, um Psicólogo Especialista tem cerca de 10 a 15 anos de experiência profissional.

Os Psicólogos e Psicólogas Especialistas escolhem ver reconhecidos os seus conhecimentos e competências numa determinada área de intervenção psicológica. Desta forma, a Especialidade funciona como uma garantia de que determinado Psicólogo tem formação e experiência numa área particular da prática psicológica.

5. Qual é a diferença entre um Psicólogo e um Psicólogo Especialista?

Todos os Psicólogos Especialistas são, em primeiro lugar, Psicólogos – Membros Efectivos da Ordem dos Psicólogos, que cumprem padrões elevados de formação, experiência prática supervisionada, conduta ética e desenvolvimento profissional contínuo.

A diferença é que, para além da formação e experiência geral em Psicologia, têm também formação e experiência, especializadas, nalguma área particular da Psicologia – pelo menos mais 4 anos de prática profissional numa área específica da Psicologia, acompanhados de formação específica, supervisão e outras actividades relevantes (tais como comunicações em eventos científicos, publicações em revistas científicas e orientações de estágios). Na verdade, em média, um Psicólogo Especialista tem cerca de 10 a 15 anos de experiência profissional.

Um Psicólogo Especialista dedica-se em profundidade, através do estudo e da prática profissional, a uma área particular da Psicologia e, por isso, está naturalmente mais vocacionado para fornecer respostas especializadas nessa área.

No entanto, é preciso notar que ao contrário da inscrição como Membro Efectivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses – que constitui um imperativo legal para praticar Psicologia em Portugal – o título de Especialista não é obrigatório. Os Psicólogos podem ou não escolher ver reconhecidos os seus conhecimentos e competências em determinada área da intervenção psicológica.

Seja qual for o Psicólogo, com ou sem Especialidade, deve esperar a mesma qualidade da intervenção psicológica, o mesmo cumprimento do Código Deontológico e padrões de excelência profissional.

6. Que Psicólogos/as Especialistas existem, o que fazem e para que servem?

Os Psicólogos e Psicólogas Especialistas enquadram-se em três grandes áreas de Especialidade:
• Psicologia Clínica e da Saúde
• Psicologia da Educação
• Psicologia do Trabalho, Social e das Organizações

Para além de uma (ou mais) Especialidade Geral, os Psicólogos também podem ter Especialidades Avançadas, que correspondem ao reconhecimento da formação e experiência profissional em áreas ainda mais delimitadas da Psicologia:
• Coaching Psicológico
• Intervenção Precoce
• Necessidades Educativas Especiais
• Neuropsicologia
• Psicogerontologia
• Psicologia Comunitária
• Psicologia da Justiça
• Psicologia da Saúde Ocupacional
• Psicologia do Desporto
• Psicologia Vocacional e do Desenvolvimento da Carreira
• Psicoterapia
• Sexologia

7. Existem Psicólogos e Psicólogas especializadas em problemas de crianças?

Sim. Existem Psicólogos e Psicólogas que estão preparadas para o acompanhamento de crianças e das suas problemáticas específicas (como por exemplo, hiperactividade, dificuldades com o sono ou dificuldades de aprendizagem).

8. Em que é que um Psicólogo ou Psicóloga é diferente de um Médico Psiquiatra?

O Psicólogo ou Psicóloga não são médicos. Têm conhecimentos, competências e tipos de intervenção diferentes das de um Psiquiatra, nomeadamente: técnicas de diagnóstico próprias, instrumentos de avaliação próprios, e uma intervenção centrada na intervenção psicológica e na relação terapêutica, não receitando qualquer tipo de medicamentos.

9. Os Psicólogos e Psicólogas trabalham sempre sozinhos ou também em equipa?

Os Psicólogos e Psicólogas podem trabalhar sozinhos, mas também podem trabalhar em equipas multidisciplinares, em conjunto com outros técnicos, sobretudo em contextos institucionais como, por exemplo, Hospitais, Instituições Particulares de Solidariedade Social, Escolas, etc.

10. Os Psicólogos ou Psicólogas podem exercer outras profissões diferentes da de Psicólogo/Psicóloga?

Podem, desde que isso não represente qualquer conflito de interesses (ético, pessoal, profissional) e desde que não exerçam no mesmo espaço e/ou contexto em que exercem a prática profissional da Psicologia.

P & R SOBRE PROCURAR A AJUDA DE UM PSICÓLOGO OU PSICÓLOGA

1. Porquê procurar ajuda de um Psicólogo ou Psicóloga?

Um Psicólogo pode ajudar qualquer pessoa – um executivo de uma grande empresa, um estudante ou um desempregado; crianças, adolescentes, adultos ou idosos; pessoas saudáveis ou que sofram de uma doença incapacitante ou até terminal; homens e mulheres de qualquer raça ou religião. Todos nós, por diferentes motivos e em diferentes momentos da nossa vida podemos beneficiar da ajuda de um Psicólogo.

Embora procurar ajuda possa ser um passo importante para melhorar ou manter a nossa Saúde Psicológica e Bem-Estar, pode ser difícil saber por onde começar ou a quem nos dirigirmos, pode levar algum tempo e ser particularmente difícil quando não nos sentimos bem. É natural também que tenhamos dúvidas sobre se precisamos realmente de procurar ajuda.

Saiba mais em Eu Sinto.me.

2. Quando procurar a ajuda de um Psicólogo ou Psicóloga?

Podemos procurar a ajuda de um/a Psicóloga/o por diversas razões. E, em diferentes momentos da nossa vida, podemos procurar a ajuda de um/a Psicólogo/a por motivos diferentes.

Não precisamos de esperar por situações de crise ou por estarmos desesperados para pedir ajuda – pelo contrário, quanto mais cedo procurarmos ajuda, melhor (mais eficaz será a solução das dificuldades e problemas).

Saiba mais em Eu sinto.me.

3. Onde posso encontrar um Psicólogo ou Psicóloga?

A OPP disponibiliza o menu Directório, através do qual pode encontrar um Psicólogo ou Psicóloga pesquisando pelo seu nome ou número de Cédula Profissional.

No site Encontre uma Saída (www.encontreumasaida.pt), para além de informação sobre intervenção psicológica e diferentes problemas de Saúde Mental e Psicológica, pode pesquisar, entre os mais de 6.000 Psicólogos georreferenciados, um Psicólogo na sua área de residência.

O mapa de georreferenciação permite encontrar Psicólogos nos mais diversos pontos do país, acedendo a informações como a sua morada e contacto profissionais e área de intervenção (caso tenham sido disponibilizadas pelo Psicólogo).

Se está numa situação de crise, ligue para o Serviço de Acompanhamento Psicológico da Linha SNS24 (808 24 24 24).

4. O que devo ter em atenção se procurar ajuda de um Psicólogo ou Psicóloga?

Em Portugal, a inscrição na Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) é uma condição legal necessária para o exercício da Psicologia. Para confirmar se determinada/o Psicóloga/o é um profissional qualificado procure pelo seu nome ou número de cédula profissional no Directório da OPP.

Saiba mais sobre o que deve ter em atenção se procurar a ajuda de um Psicólogo ou Psicóloga?

5. Como sei qual é o Psicólogo ou Psicóloga certo para mim?

Deverá consultar um Psicólogo ou Psicóloga que aplique o modelo mais eficaz para o seu problema e com quem se sinta confortável. Pode consultar, junto de sociedades científicas, quais os técnicos e modelos mais adequados à sua dificuldade, problema ou questão. A ou o Psicólogo que procurar, de acordo com o seu código deontológico, abster-se-á de intervir no caso de considerar não ter a preparação adequada para a situação, encaminhando-a/o para outro ou outra profissional.

Se já procurou ajuda e não resultou, tente novamente. Irá encontrar alguém com quem se identifique e se sinta apoiado. Existem na Psicologia diferentes abordagens, com eficácia comprovada, que podem funcionar connosco ou fazer-nos mais sentido.

6. O que esperar de uma primeira sessão com um/a Psicólogo ou Psicóloga?

Se nunca foi a uma sessão com um/a Psicólogo/a é natural que tenha algumas questões ou dúvidas sobre o que vai acontecer: preciso de falar muito? Vou ter de discutir a minha infância? Vão fazer-me muitas perguntas? Vai ser muito diferente de falar com um amigo? Vou sentir-me à vontade?

Saiba mais em Eusinto.me.

7. Existe alguma tabela de preços de sessões/consultas de Psicologia?

Não. No respeito pelo princípio da livre concorrência, não é possível disponibilizar uma tabela de preços ou valores de referência para serviços de Psicologia.

8. Quais os locais onde posso ter acesso a consultas de psicologia mais baratas ou gratuitas, comparticipadas ou de cariz social?

Poderá solicitar essa informação nos seguintes locais: Centro de Saúde da sua área de residência, Hospitais e Instituições de Solidariedade Social.

Desde Abril de 2020 a Linha SNS24 disponibiliza um serviço gratuito e 24h por dia, 7 dias por semana, de Aconselhamento Psicológico (808 24 24 24).

9. Existem Seguros de Saúde que comparticipam consultas de Psicologia?

Sim, alguns seguros de saúde, além da ADSE e outros subsistemas, comparticipam consultas de Psicologia. Dependendo da cobertura do seguro, as pessoas seguradas podem usufruir de pacotes de consultas de Psicologia, geralmente com um número limitado de sessões, onde uma parte do valor é comparticipado pela seguradora.

10. Os Psicólogos e Psicólogas são obrigadas a passar recibos relativos às sessões/consultas de Psicologia?

À semelhança de outras prestações de serviços, sempre que houver um pagamento inerente a uma consulta de Psicologia, deve haver um recibo relativo a esse pagamento. O recibo pode ser emitido pela Psicóloga ou Psicólogo, se for trabalhador independente, ou pela instituição, clínica ou gabinete onde exerce a sua actividade profissional, na forma de Factura/Recibo.

P & R SOBRE A INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA

1. As intervenções psicológicas são terapias alternativas?

Não. A Psicologia é uma Ciência, que utiliza o método científico e técnicas próprias, correspondendo ao estudo da mente e do comportamento humano.

Através da intervenção psicológica e da Psicoterapia (ou Terapia), os Psicólogos e Psicólogas utilizam diferentes abordagens que estão associadas às principais perspectivas teóricas da Ciência Psicológica e aplicam procedimentos e técnicas baseadas na investigação e evidência científicas. Os objectivos centram-se na exploração da natureza das dificuldades e problemas psicológicos, na promoção do bem-estar e da autonomia, da autodeterminação individual e no desenvolvimento de novas competências, comportamentos, emoções e pensamentos mais saudáveis e adaptativos.

Saiba mais sobre Ciência com Evidência e Pseudociência ou Pseudoterapias aqui.

2. Quanto tempo demora um acompanhamento psicológico?

O tempo de acompanhamento psicológico depende daquilo que o/a levou a procurar ajuda de uma Psicóloga ou Psicólogo, não havendo, por isso, um tempo mínimo e máximo estabelecido. Esta questão pode e deve ser discutida com o seu Psicólogo ou Psicóloga.

3. As Psicólogas e Psicólogos podem dar consultas em gabinetes/consultórios médicos?

Sim. As Psicólogas e Psicólogos podem dar consultas em gabinetes ou consultórios médicos, desde que não haja sobreposição de intervenções e/ou conflito de interesses entre a sua área a de qualquer outra área que exista no gabinete/consultório médico.

4. As Psicólogas e Psicólogos podem dar consultas em casa?

Sim, podem desde que o espaço onde dêem consultas seja, obrigatoriamente, distinto do seu espaço pessoal e privado e que assegurem a confidencialidade do cliente, nomeadamente através de acessos e condições de acústica apropriadas.

5. As Psicólogas e Psicólogos podem dar consultas em casa do cliente?

Ainda que não seja uma prática habitual, em situações excepcionais isso poderá ser possível desde que se mantenha as condições básicas inerentes à sua prática.

6. As Psicólogas e Psicólogos podem dar consultas à distância/online?

Sim, podem. A prática profissional da Psicologia à distância segue as mesma regras e princípios que a prática profissional presencial.

7. Onde posso encontrar informação sobre Psicologia, Saúde Psicológica e Bem-Estar?

O EU SINTO.ME é um portal que reúne um conjunto de informação e recursos sobre Saúde Psicológica e Bem-Estar. É totalmente gratuito e dirige-se a jovens, adultos ou idosos; a pais e cuidadores, estudantes, professores e educadores, profissionais de saúde e decisores, e psicólogas/os.

Toda a informação disponível é baseada na evidência proveniente da Ciência Psicológica e actualizada regularmente. O EU SINTO.ME é um guia digital para a Saúde Psicológica e o Bem-Estar, disponível todos os dias e a qualquer hora. Inclui uma assistente virtual, a ANA, que facilita o acesso a ferramentas e proporciona apoio específico para os interesses e as necessidades de Saúde Psicológica e Bem-Estar dos utilizadores.

P & R SOBRE A PRÁTICA PROFISSIONAL DOS PSICÓLOGOS E PSICÓLOGAS

CONFIDENCIALIDADE

1. Os Psicólogos e Psicólogas são obrigados a manter a confidencialidade do que lhes é dito numa consulta ou sessão de acompanhamento psicológico?

Sim, os Psicólogos e Psicólogas estão obrigados a manter a confidencialidade. Tudo o que lhes é revelado em consulta deve ser mantido em confidencialidade, com algumas excepções relacionadas com a existência de um risco e/ou perigo de vida imediato para o próprio e/ou outros, que devem ser discutidas com o seu Psicólogo ou Psicóloga.

2. Sempre que os Psicólogos ou Psicólogas aplicam provas de avaliação psicológica, o resultado é confidencial?

Os resultados da aplicação de instrumentos/provas de avaliação psicológica são propriedade do cliente. O ideal será que o cliente tenha acesso a esses resultados através do Psicólogo/Psicóloga ou de outro por si indicado, no sentido de evitar más interpretações.

Do mesmo modo, se a decisão da aplicação da prova for acordada entre o Psicólogo/a e uma instituição para a qual o/a Psicólogo/a trabalha, o cliente pode ter acesso aos resultados, a não ser que esteja previamente acordada outra condição.

3. Se o psicólogo necessitar de supervisão da sua prática profissional, pode revelar o nome do seu cliente?

Não. O Psicólogo ou Psicóloga não pode nem deve revelar o nome do seu cliente. Isso só poderá acontecer em circunstâncias excepcionais e previstas na Lei e/ou no Código Deontológico da profissão.

4. Se algum elemento da família e/ou amigos se dirigirem ao Psicólogo ou Psicóloga para solicitar informações relativas a um acompanhamento específico que esteja a ser feito a um amigo ou familiar seu, o/a Psicólogo/a pode divulgar?

Não. Em nenhuma circunstância o Psicólogo ou Psicóloga deve facultar, a quem, sendo externo ao processo, lhe solicita qualquer informação relativa a um acompanhamento psicológico, a não ser que para isso seja mandatado pelo seu cliente ou nas circunstâncias excepcionais previstas que não incluem um pedido desta natureza.

5. Se um Psicólogo ou Psicóloga for notificado pelo tribunal, a levantar o sigilo dos dados fornecidos pelo seu cliente, pode quebrar a confidencialidade?

Pode. Mas a abordagem mais adequada que o Psicólogo ou Psicóloga pode ter, numa audiência/audição, será falar sobre a boa prática da Psicologia, de quais os métodos utilizados para uma determinada intervenção e/ou acompanhamento e deixar ao critério do Tribunal o juízo se, uma determinada prática, foi bem ou mal aplicada. É da competência do Psicólogo, caso notificado, informar as autoridades acerca das probabilidades de um determinado cidadão, com um determinado perfil e/ou diagnóstico, representar uma ameaça, com potenciais comportamentos de risco.

O Psicólogo ou Psicóloga poderá também, se considerar que a revelação de determinadas informações poderá ser prejudicial para o seu cliente, invocar o direito de escusa que poderá ser retirado por um tribunal de instância superior.

6. Os pais/cuidadores devem ou não estar presentes nas consultas/sessões de psicologia do filho(a)/criança/jovem ao seu cuidado?

Depende da situação. O Psicólogo ou Psicóloga deve usar o seu julgamento profissional para salvaguardar a confidencialidade dos dados que lhe são fornecidos durante a consulta. No entanto, não deve impedir, aos pais/cuidadores, o acesso a dados fundamentais que promovam a melhoria da qualidade de vida da criança.

QUEIXAS DE MÁ PRÁTICA

1. Para saber se o desempenho/prática de um Psicólogo ou Psicóloga, em consulta/sessão de acompanhamento, está correcto, a quem devo recorrer?

Pode, e deve, recorrer à Ordem dos Psicólogos dado que esta é a instituição que regula a profissão de Psicólogo(a) em Portugal. Como tal, a Ordem está habilitada a esclarecer questões de ética e deontologia, através do Código Deontológico em vigor, e a investigar sobre as práticas e/ou exercer, sempre que se justifique, o poder disciplinar sobre os profissionais inscritos de acordo com o Regulamento Disciplinar em vigor.

2. A Ordem dos Psicólogos recebe reclamações e/ou queixas por parte do público utilizador dos serviços de Psicologia?

Sim. A Ordem dos Psicólogos recebe e trata reclamações/queixas relativas à prática profissional dos Psicólogos e Psicólogas sendo as mesmas tratada de acordo com a legislação em vigor, ou seja, do Código Deontológico e do Regulamento Disciplinar, instrumentos fundamentais ao órgão competente para o efeito - Conselho Jurisdicional.

3. Como posso submeter uma queixa por má prática profissional de um Psicólogo ou Psicóloga?

Caso pretenda apresentar uma queixa ou reportar uma situação de má prática profissional de um Psicólogo ou Psicóloga poderá, para esse efeito, preencher o seguinte formulário.

QUEIXAS E PROCESSOS DISCIPLINARES 

1. Nº de queixas recepcionadas pelo Conselho Jurísdicional

2019 - 131

2020 - 99

2021* - 109

2. Nº de processos alvo de apreciação (contém processos que transitaram de anos anteriores) 

2019 - 218

2020 - 193

2021* - 129

3. Processos arquivados

2019 - 54

2020 - 109

2021* - 19

4. Nº de processos em que foi aplicada sanção

2019 - 55

2020 - 24

2021* - 13

 

*dados até Setembro de 2021.