Ordem dos Psicólogos

Certificação APCER

Papel dos psicólogos em debate

I Encontro dos Psicólogos da Administração Local

21.Setembro.2017

Decorreu no dia 19 de Setembro, o I Encontro dos Psicólogos da Administração Local, no Auditório dos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa, numa iniciativa conjunta da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) e da autarquia de Lisboa. Pela primeira vez, os psicólogos, que encheram o auditório, tiveram oportunidade de refletir sobre a importância do seu trabalho a nível autárquico e partilhar as suas experiências a nível local, enquanto classe profissional, perante uma assistência atenta e participante.

"Os psicólogos assumem hoje uma posição de destaque nas autarquias e é necessário manter a aposta na contratação destes profissionais e nos benefícios que trazem". Foi desta forma que Francisco Miranda Rodrigues, Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP), concluiu a sua intervenção durante a sessão de abertura deste evento, após também ter realçado a importância do encontro e dos "muitos papéis que os psicólogos podem ter nas autarquias locais". Ainda de acordo com o Bastonário da OPP, neste momento, um dos principais desafios "dar a conhecer as mais-valias do seu trabalho junto dos municípios e aos cidadãos".

Já Carlos Miguel, secretário de estado das autarquias locais, afirmou que a presença dos psicólogos, quase inexistente há 20 anos, passou a ser recorrente a partir das políticas de educação, com experiências muito positivas e que vão ser alargadas no âmbito da descentralização das competências para os municípios, enquanto Nuno Prata, Diretor de Departamento de Saúde, Higiene e Segurança da CML, salientou a importância da parceria estratégica com a OPP na discussão e debate dos problemas e na criação de novas sinergias.

Na conferência de abertura, Renata Benavente, membro da Direcção da OPP, traçou o perfil dos psicólogos da administração local estando a maior parte integrada em equipas multidisciplinares e salientou a intervenção dos psicólogos na área da gestão dos recursos humanos das organizações. Terminou com a ideia de que os psicólogos desempenham um papel imprescindível na administração local e são uma alavanca para o desenvolvimento das organizações.

A psicologia na gestão de uma cidade e em quem habita e vive a cidade foram outros dos temas abordados na sessão de trabalho da manhã. Gil Nadais, Presidente da Câmara Municipal de Águeda, chamou a atenção para a necessidade da existência de psicólogos nos recursos humanos nas autarquias: "É preciso ter liderança, temos que motivar, é preciso correr riscos, desinquietar as pessoas". "Para alguns funcionários, a 'happy hour' é depois da 17h... temos de avançar rapidamente para que a 'happy hour' seja durante o horário de trabalho. E os psicólogos podem contribuir muito para isto se tornar uma realidade", concluiu. Já Luís Fernandes, psicólogo e investigador da Faculdade de Psicologia da Universidade do Porto, referiu que os psicólogos começam a ganhar visibilidade com os projetos de intervenção social, mas ainda há um caminho a percorrer. " necessário continuar a sensibilizar as organizações para o papel do psicólogo", adiantou.

A sessão da tarde foi dedicada à partilha de experiências do trabalho desenvolvido por diversas autarquias, nomeadamente, Joana Cruz, psicóloga do Município de Matosinhos, Delfina Sebastião, psicóloga da Autarquia de Palmela, Joana Costa, psicóloga da Câmara Municipal de Gondomar, e Raquel Barnabé, psicóloga da Câmara Municipal de Lisboa (CML).

A encerrar os trabalhos, Sofia Ramalho, Vice-Presidente da OPP, e Luísa Dornellas da CML realçaram a importância do trabalho dos psicólogos, as preocupações na prevenção dos riscos psicossociais nas autarquias e o contributo dos mesmos na construção de cidades mais saudáveis. Paralelamente, foram lançadas as bases para os próximos encontros que contribuirão para o desenvolvimento da identidade do psicólogo nas autarquias locais.

Clique aqui para ver as fotografias do evento.