Ordem dos Psicólogos

Certificação APCER

Comunicado OPP

A propósito da notícia "Última carta torna-se testamento de dor do jovem Miro" do Correio dos Açores

18.Janeiro.2019

Em: Delegação Regional Açores

Face à recente notícia "Última carta torna-se testamento de dor do jovem Miro", publicada na edição de 17 de Janeiro de 2019 do jornal "Correio dos Açores", a Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) vem por este meio comunicar o seguinte:

Perante a gravidade da notícia publicada, cujas razões serão detalhadas neste comunicado, a OPP irá dar conhecimento e solicitará pronúncia por parte da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), mostrando-se totalmente disponível para colaborar com esta instituição e com todos os órgãos de comunicação social no que à publicação de questões na área da saúde mental e comportamento dizem respeito.

Importa destacar que os "Media" representam uma das principais áreas de actuação no que diz respeito à prevenção do suicídio, podendo desempenhar um papel importantíssimo, contribuindo para informar correctamente o público e para o desenvolvimento de percepções e atitudes sociais adequadas face aos problemas de Saúde Psicológica, nomeadamente o suicídio. O suicídio é um assunto complexo, que coloca aos "Media" um conjunto específico de desafios e a necessidade de encontrar um equilíbrio entre defender o "interesse público" e, inadvertidamente potenciar (porventura) comportamentos de risco, influenciando as acções de pessoas mais vulneráveis. As investigações demonstram que enquanto algumas formas de reportar o suicídio têm sido associadas a um aumento das taxas de suicídio, outras, mais adequadas, têm contribuído para reduzir essas taxas.

Neste sentido, e face à gravidade da notícia publicada pelo "Correio dos Açores" e aqui assinalada, a OPP apela, mais uma vez, ao tratamento responsável e preciso dos meios de comunicação das temáticas relacionadas com a Saúde Psicológica da população, algo que não se coaduna com publicações desta natureza, incluindo a chamada de capa. Reportar os problemas de Saúde Psicológica de forma correcta, justa, boas práticas baseadas na evidência científica e compassiva pode realmente fazer a diferença, não só para a comunidade, como especificamente para as pessoas que vivem com problemas de Saúde Psicológica e os seus familiares.

Por último, recorde-se que os psicólogos constituem uma mais-valia na avaliação de risco de suicídio, na identificação precoce dos sintomas e comportamentos de risco, no desenvolvimento de programas de intervenção e prevenção, assim como na melhoria da capacidade de diagnóstico e tratamento de situações depressivas nos Cuidados de Saúde Primários. Exemplos disso constituem diversas acções e iniciativas recentes da Direcção Regional dos Açores da Ordem dos Psicólogos Portugueses, nomeadamente a dinamização em parceria com outras entidades da área da saúde mental do Dia da Saúde Mental ou a organização do Seminário "Vamos Falar de Depressão" (em parceria com a Unidade de Saúde da Ilha de São Miguel), na sequência do qual o Secretário Regional da Saúde manifestou interesse em implementar, nos Açores, o projecto-piloto do Programa Nacional de Prevenção da Depressão, apresentado pela OPP, hoje em implementação em diferentes ilhas da RAA, ou ainda o contributo apresentado na audiência com a Comissão Política da Assembleia Regional dos Açores sobre a Petição nº 31 XI, a propósito do aumento do número de suicídios na Ilha de São Miguel.