Ordem dos Psicólogos

Certificação APCER

14 a 16 de Novembro, Portugal acolhe cimeira internacional de Psicologia

"The International Summit on Psychology and Global Health: A Leader in Climate Action"

06.Novembro.2019

A Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) e a American Psychological Association (APA) organizam, pela primeira vez, uma cimeira internacional que irá contar com a presença de cerca de 50 associações internacionais de Psicologia no sentido de debater o papel dos psicólogos nos desafios societais globais (Objectivos do Desenvolvimento Sustentável) e, nesta edição, mais especificamente na crise climática. Já na tarde do dia 15 de Novembro, a OPP e a APA têm o prazer de convidar todos os psicólogos, estudantes e outros profissionais a marcarem presença numa conferência, em Lisboa, onde será debatido o papel da Psicologia e dos psicólogos na crise climática, bem como estratégias para alterações (comportamentais) de indivíduos, grupos, comunidades e decisores, que minimizem as alterações climáticas que vivemos, bem como estratégias para lidar com a adaptação às mesmas ou para a intervenção em situações por elas desencadeadas. Refira-se que Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa, irá marcar presença pela primeira vez num evento organizado pela OPP.

"The International Summit on Psychology and Global Health: A Leader in Climate Action" reunirá líderes de todo o mundo no sentido de debater e partilhar os contributos da Psicologia, especificamente no ponto 13 dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, ou seja, tomar medidas urgentes para combater as alterações climáticas e os seus impactos.

Em termos históricos, não tem existido uma "voz única global" da Psicologia, sendo que, desta forma, todas as contribuições e mensagens têm sido partilhadas de forma fragmentada. Para enfrentar os desafios globais da actualidade, a Psicologia tem de estar presente e ser uma voz activa no debate. O "The International Summit on Psychology and Global Health: A Leader in Climate Action" tem como objectivo promover as contribuições da Psicologia nos desafios actuais, como as alterações climáticas, que nenhuma associação internacional de Psicologia conseguiria enfrentar de forma independente. Entre outras presenças de relevo, destaque para Janet Swim, uma das principais referências da Psicologia nesta área, que irá ainda orientar um Workshop Premium da OPP.

Importa também salientar que ao longo deste evento será desenvolvido um "white papper" que, conforme acordado, será ulteriormente entregue a António Guterres, Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas.

Clique www.psychologyandglobalhealth.org para consultar o programa e para se inscrever gratuitamente (lugares limitados).

Psicologia e Alterações Climáticas

Existe um largo consenso entre a comunidade científica que as alterações climáticas estão a verificar-se mais rápido do que o previsto, devido em grande parte ao comportamento e a decisões humanas. Além das evidentes ameaças ao meio ambiente e à saúde física, as mudanças climáticas prejudicam a saúde mental e o bem-estar. Podem igualmente ameaçar um senso de identidade pessoal e profissional, impedir estruturas de apoio social e aumentar sentimentos de desespero, medo e fatalismo. Tem sido igualmente demonstrado que as alterações climáticas contribuem para a perda da coesão social, elevando ainda a hostilidade e a agressão interpessoal e intergrupal.

A ciência psicológica não apenas fornece soluções para promover comportamentos mais responsáveis em termos ambientais, como também para apoiar as pessoas a adaptarem-se às alterações climáticas. Os psicólogos podem ajudar a aumentar a resiliência, a preparar as pessoas para enfrentarem o problema em questão e fortalecer as ligações sociais. Os psicólogos também podem prestar assistência a pessoas que sofrem de Sintomas de Stress Pós-Traumático e outras condições de saúde mental resultantes de eventos relacionados com as alterações climáticas - situação que tem vindo a aumentar ao longo dos últimos tempos.

Nenhuma associação pode combater isolada e efetivamente a actual crise climática. A comunidade internacional de Psicologia deve unir-se para mobilizar as associações, elevar as nossas vozes e promover a nossa ciência, no sentido de se verificarem reais mudanças sociais e duradouras.