Ordem dos Psicólogos

Certificação APCER

Iniciativa da DGS, através do Programa Nacional de Saúde Ocupacional

Foi hoje apresentado o Guia Técnico sobre “Vigilância da saúde dos trabalhadores expostos a fatores de risco psicossocial no local de trabalho

28.Setembro.2021

O Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP), Francisco Miranda Rodrigues, saúda o lançamento do guia da DGS de boas práticas e de vigilância dos riscos de saúde mental a que os trabalhadores estão sujeitos, mas recorda que este "só é útil se o governo, o parlamento e as organizações não o colocarem na gaveta".

"Tenho curiosidade para saber se o Governo, a Assembleia da República e as organizações em geral vão continuar a arranjar desculpas para adiar decisões que criem condições para a prevenção de riscos psicossociais e promoção da saúde mental nos locais de trabalho que são consensuais entre as diversas áreas científicas e técnicas", afirmou o Bastonário, que esteve presente, como orador, no lançamento do guia.

Francisco Miranda Rodrigues recorda que, "em várias intervenções no Parlamento", a Ordem dos Psicólogos "alertou sistematicamente que este não é um assunto de concertação social, mas sim de saúde pública".

A OPP há anos que defende uma acção mais determinada nesta área, com a inclusão dos psicólogos nas equipas de saúde ocupacional e que, para isso, se altere a lei.

"Se tem custos?! Claro que tem. Os custos de não fazer nada ou os custos que todos nós sentimos quando temos que mudar. Mudar custa, no sentido que exige um esforço precedido de reconhecimento dos sinais dessa necessidade e de aceitação da mesma. Agora se estamos a falar de avaliar e intervir, isso não é um custo, mas sim um investimento com elevado retorno. Há evidência científica disso", acrescenta o Bastonário.

Francisco Miranda Rodrigues sublinha que o futuro encaminhamento de situações para os serviços de saúde, tal como preconizado pelo Guia da DGS, vem ainda tornar mais saliente a já insustentável falta de psicólogos no Serviço Nacional de Saúde. "A 'solução' não pode ser sempre medicar. É preciso dar outro tipo de respostas", alerta.

"Até com as máquinas há preocupação que durem e estejam em boas condições. Como é que, com as pessoas, os empregadores apenas continuam preocupados com o facto de produzirem ou não?"

Francisco Miranda Rodrigues considera que o lançamento do guia da DGS "é um impulso importante para que se passe das palavras aos atos nesta área. É uma oportunidade para mostrar que a preocupação com as pessoas vai além do que estas dão às organizações no imediato".

O Bastonário critica a falta de preocupação de muitos empregadores com o bem-estar e a saúde mental dos trabalhadores. "Até com as máquinas há preocupação que durem e estejam em boas condições. Como é que, com as pessoas, continuamos apenas preocupados com o facto de produzirem ou não? Felizmente há cada vez mais líderes, muitos de uma nova geração, mais conscientes e com uma visão mais informada pela ciência. Estes já perceberam que, não só têm que apoiar quem precisa no acesso aos serviços de saúde nesta área, como têm que avaliar de forma transparente os riscos psicossociais e mudar práticas de gestão e de liderança de modo a prevenirem os seus impactos", conclui.

A OPP esteve representada pelo psicólogo Samuel Antunes no Grupo de Trabalho para a criação do Guia da DGS "Vigilância da saúde dos trabalhadores expostos a fatores de risco psicossocial no local de trabalho".

Clique aqui para aceder ao guia.

Notícias nos meios de comunicação social:

DGS lança guia sobre saúde mental no trabalho. Psicólogos receiam que fique "na gaveta", In Jornal Económico